Quinta Musical: vejo flores em você, Brandon!



O post de hoje é dedicado a ninguém mais ninguém menos que Brandon Flowers, aquele que ocupa, empatadíssimo com Adam Levine, o primeiro lugar no meu ranking de ~mozões~ musicais [não negue, eu sei que você também uma listinha imaginária dessas na sua cabeça]. <3

Obs: pra quem também sofre desse mal, indico o Tumblr Brandon Flowers Casa Comigo. É hilário e expressa bem todo o sentimento que esse ser provoca nos ovários femininos. hahaha... Porque, né, como resistir a isso:

É muito charme pra uma pessoa só. *o*

Ruining lives since 1981.

Muita gente conhece e é apaixonada por The Killers, a maravilhosa banda de rock de que Brandon é vocalista, mas o que nem todo mundo sabe é que ele tem uma carreira solo à parte, produzindo álbuns lindos nos hiatos dos Killers. E é disso que vamos falar hoje.

O primeiro álbum solo de Brandão Flores (amo chamá-lo assim... fica tão português.. hahaha), intitulado Flamingo, foi lançado em 2010. Flamingo foi bem recebido pela crítica e, já na primeira semana, alcançou o topo das paradas inglesas e escocesas. Nesse disco está minha música favorita dele de todos os tempos: "Crossfire". Tem um significado muito especial pra mim, e tenho planos de tatuar um trecho (que não vou revelar qual porque não quero cópias... ~aquelas~).

Esse primeiro trabalho solo é bem curioso e super diferente de tudo que Brandon já tinha feito. O synthpop que tanto influenciou os Killers é bem amenizado, como em "Only The Young", e surgem outras referências, como em "Hard Enough", que tem uma vibe meio country.

Porém, o segundo disco solo de mozão foi que me pegou de jeito. Na direção contrária de Flamingo, The Desired Effect eleva as influências 80's à máxima potência! Tem muita batidinha feliz, MUITO teclado (atenção pra introdução de "Still Want You"), muito som sintético. É uma paraíso elétrico em pleno 2015! Como ainda sou dessas que compra cd físico, já garanti o meu, que tá quase furando de tanto tocar. De todas as músicas do álbum, acho que "Diggin' Up The Heart" é a mais ~de época~ de todas. Pode tocar que ninguém vai desconfiar que ela não nasceu em 1985. "I Can Change" vocês já conhecem porque entrou na play de aniversário de 1 ano da Quinta Musical.

Aqui vai, então, meu Top 3 de Brandon pra dar um gostinho dessa maravilhosidade da mãe natureza:

1. Crossfire: minha eterna favorita.


And when the hardest part is over we'll be here
And our dreams will break the boundaries of our fear

2. Can't Deny My Love: pura loucura apaixonada. Porque você pode até fugir de mim, mas não pode negar que eu te amo! [Larga essa lesada e vem me amar <3]



It's driving me crazy
And you can try to lie 
But you're not gonna, not gonna deny
No you're not gonna, not gonna deny my love
(...)
You can't deny my love

3. Lonely Town: pra, assim como no clipe, ficar dançando como se ninguém estivesse vendo. Muito gostosinha.


I always thought that things would change
But they never did

[quem nunca, né?]

Espero que depois dessa vocês também se juntem a este fandom lindo. Vamos nos amar ao som de Brandon! E me contem nos comentários o que vocês acharam da indicação e dos álbuns, tá?

Um beijo e até a próxima! :)


Nenhum comentário

Postar um comentário