Xampu com sulfato, agride o cabelo?

Imagem: Google
Ultimamente o interesse por cuidar mais da saúde tem aumentado muito quando se fala em cabelo e pele. Técnicas e produtos diferenciados são lançados no mercado com o intuito de deixar sua pele e cabelos mais bonitos e saudáveis. E essa iniciativa é ótima. Porém, será que você entende quais os benefícios e os malefícios das substâncias presentes nos seus cosméticos?!

E é por esse motivo que vim hoje falar sobre o principal “vilão da história” da atualidade que é o Sulfato.

Primeiramente você precisa entender do que é formado o fio do nosso cabelo, se você ainda tem dúvidas sobre isso clique aqui e aqui.

Sabendo disso, você precisa responder a pergunta:

Do que é feito meu xampu?

Se você não souber a resposta, esse post é pra você!

O xampu, o condicionador e sabonetes em geral tem a mesma fórmula base, e o que difere as funções de cada um deles é o tipo de tensoativo em sua formulação.

Mas afinal o que é um tensoativo?

Explicando bem grosseiramente, tensoativos são compostos que na mesma molécula apresentam uma parte hidrofílica(afinidade por água) e outra lipofílica(afinidade por óleo). Essa porção hidrofílica que é solúvel em água, se ioniza quando entra em contato com a água originando um grupo carregado eletricamente que pode ser aniônico(carga negativa) presente nos xampus ou catiônico(carga positiva) presente nos condicionadores.

Ok, então agora já sabemos que o xampu tem em sua formulação um tensoativo aniônico.

Mas Mirley, o que este tensoativo faz?

Basicamente, separa o óleo da água. Essa capacidade é conhecida como “poder de limpeza” ou detergência. Ou seja, o tensoativo separa o óleo do fio do cabelo molhado para que quando ocorrer o enxágue dos fios essas partículas possam ser carregadas eliminando a “oleosidade”.

Deu pra entender? Espero que sim! :)

Agora chegamos ao assunto específico do post:

Mas enfim, o que é o tal do sulfato?

A substância Lauril Sulfato de Sódio(SLS) mais conhecida como “sulfato” é um dos tipos de tensoativos aniônicos mais presentes no mercado hoje. E como já sabemos, o poder de limpeza do seu shampoo está diretamente ligado ao tensoativo utilizado.

Existem vários tipos de tensoativos aniônicos que podem ser utilizados na formulação de um xampu, uns mais fracos e outros mais fortes.

Entre eles estão:

Lauril sulfato de sódio, TEA ou NH3, Lauril éter sulfato de sódio, TEA ou NH3, Lauril éter sulfossuccinato de sódio, Sarcosinatos de sódio, Cocoil sarcosinato de sódio, Cocoil glutamato de sódio, Lauroil glutamato de sódio, Cocoil glutamato de sódio, Cocoil glicinato de sódio e compostos de amônio quaternário, entre outros.

Agora pensa comigo, qual será a real diferença entre eles?

Basicamente seu poder de detergência(poder de limpeza) e sua capacidade espumante(de fazer espuma).

Simples, né? rs

Com certeza agora vão surgir pessoas pensando assim:

Mas Mirley, quem me diz que você não inventou tudo isso que você escreveu até agora? rs

Então vamos aos fatos! De acordo com os testes feitos pela equipe da química Inés Joekes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) citados no artigo "Fio a fio": “O simples uso diário de xampu faz mais do que eliminar as partículas de sujeira, de poluição e o sebo do couro cabeludo que se acumula nos fios. Ele é tão eficiente que remove até mesmo pequenas partes do próprio fio, contribuindo para produzir danos microscópicos em sua estrutura, alterar a cor e torná-lo mais quebradiço, em especial nas pontas."

Ou seja, quanto maior o poder de detergência do seu xampu mais danos ele trará ao seu cabelo. Agora finalmente chegamos aonde eu queria chegar(rs).

O Sulfato é o tensoativo mais encontrado nos xampus atualmente por 3 motivos: Sua alta capacidade de detergência, sua alta capacidade como espumante e seu baixo custo.

Entendeu agora porque o uso do Sulfato é considerado tão ruim por algumas pessoas?

Porque simplesmente ele é um dos tensoativos que mais agride o fio do cabelo!

Agora é aquele momento que você desespera e corre pro banheiro jogar seu xampu no ralo?! NÃO NÉ GENTE, peloamor! Haha

Se acalma e pensa comigo: Na pesquisa citada acima são realizados 2 tipos de teste. No primeiro a equipe somente expõem os fios de cabelo ao Sulfato e no segundo expõem eles ao sulfato, esfregam os fios por 2 minutos(imitando a lavagem real das mulheres em casa), enxáguam(com água em diferentes temperaturas) e depois escovam os fios com o auxílio do secador. Após ambos os experimento chegaram-se a algumas conclusões que vou resumir aqui pra vocês: O detergente do xampu acelera a formação de buracos nas camadas internas das cutículas e extrai as gorduras naturais do fio. Além de mais ásperos ao toque, os fios tornam-se progressivamente mais claros. Porém, a fricção é responsável por 90% dos danos à cutícula, efeito que aumenta progressivamente com a elevação da temperatura da água.

Minha opinião pessoal: O Sulfato danifica SIM os fios. Ele e qualquer outro tensoativo também, porém alguns tensoativos menos que outros, como por exemplo: betaína cocamidopropyl ou o laureth sulfossuccinato, entre outros.

Vale a pena então abrir mão do sulfato?

Depende. Todos esses tensoativos que agridem menos os fios são mais caros e um pouco mais difíceis de serem encontrados no mercado. Agora vai de você escolher o que é melhor para o seu cabelo e o seu bolso.

Minha experiência pessoal: Eu obtive melhores resultados com o meu cabelo mudando hábitos que envolviam a “fricção” dos fios do que trocando o sulfato por outro tensoativo menos agressor. Portanto continuo usando o sulfato normalmente. Fiz um post recentemente de como lavo meu cabelo com várias dicas bem legais, você pode vê-lo clicando aqui.

Resumindo a história toda: Na minha opinião que é baseada nos meus 5 anos na faculdade de Farmácia e principalmente no livro e artigo citados aqui embaixo é que: evitar a fricção dos fios é a melhor maneira de mantê-los mais íntegros e saudáveis! Por isso trate seu cabelo com todo o amor e carinho que ele merece! Lembrando que apesar da minha opinião, você tem todo o direito de utilizar o que bem entender e de discordar ok?

Obs: Esse post foi feito baseado principalmente em 2 fontes.

- Na série de livros “Iniciação á Química Cosmética” volume 1, 2 e 3 de Randy Schueller e Perry Romanowsk.

- Na pesquisa citada no artigo “Fio por fio” feita pela equipe da Inés Joekes coordenadora na Unicamp. Você pode acessá-lo na íntegra clicando AQUI.

Se ainda ficarem quaisquer dúvidas sobre o assunto deixem aqui embaixo nos comentários que eu vou tentar ajudar da melhor maneira possível, ok?

Espero que tenham gostado e pra ficar de olho em tudo que rola por aqui não esquece de curtir a fanpage do blog e me seguir no instagram, snapchat e bloglovin. É tudo mirleywohlers, tá? 

Um super beijo!

Nenhum comentário

Postar um comentário